Noticias

Polícia Federal investiga e toma medidas DRÁSTICAS contra o tráfico de ouro na região Amazônica

Prisão de Brubeyk do Nascimento: A nova face do garimpo ilegal

No último dia 20, uma operação conjunta entre a Polícia Federal e a Receita Federal resultou na prisão de Brubeyk do Nascimento, um personagem-chave no esquema de extração e exportação ilegal de ouro proveniente de garimpos ilícitos nas terras indígenas no Brasil.

As investigações iniciaram em 2020, quando Nascimento foi preso no aeroporto internacional de Manaus, tentando embarcar uma carga de ouro com destino aos Estados Unidos. Esse ouro, segundo as autoridades, vinha de garimpos ilegais situados em território indígena.

preso operacao pf am
Brubeyk do Nascimento. Imagem: g1

Leia mais:

Promotor que comparou advogada a ‘cadela’ é afastado do cargo

Expor traição é crime? Entenda as consequências legais do caso Luísa Sonza e Chico Moedas

Quem é Brubeyk do Nascimento?

Brubeyk do Nascimento, engenheiro mecânico de origem goiana, era até então uma figura desconhecida para o grande público. No entanto, para a Polícia Federal, seu nome figurava nos registros desde a prisão em 2020, quando tentava transportar 35 quilos de ouro de origem suspeita para os Estados Unidos, ao lado dos norte-americanos Frank Gianuzzi e Steven Bellino.

De acordo com a perícia da PF, a origem do minério era o garimpo ilegal da região de Tapajós, no Pará. As investigações revelaram que Nascimento era membro de uma organização criminosa especializada na lavagem de dinheiro e na exportação ilícita de ouro extraído ilegalmente de reservas indígenas e unidades de conservação federal.

O elo com Werner Rydl

Ao longo das investigações, surgiu a conexão entre Nascimento e o bilionário austro-brasileiro Werner Rydl. Rydl, que foi alvo de um mandado de busca e apreensão, mas não detido, é acusado de intermediar a remessa do ouro dos garimpos ilegais na Amazônia para a Europa. Segundo as autoridades, Rydl possui mais de R$ 20 bilhões em barras de ouro escondidas em um paraíso fiscal criado por ele para burlar as autoridades.

As ações de Nascimento e Rydl fazem parte de um esquema ilegal que, segundo a PF, movimentou cerca de R$ 5,7 bilhões nos últimos anos, com a exportação de ouro extraído ilegalmente da Terra Yanomami, nos estados de Amazonas e Roraima, e na Venezuela, para a Europa e Estados Unidos.

Desdobramentos da investigação da polícia

Nas ações conjuntas, denominadas operações Emboaba, Lupi e Eldorado, foram cumpridos 20 mandados de prisão preventiva e 61 de busca e apreensão, além de outras medidas cautelares, em cidades como Manaus, Anápolis, Uberlândia, entre outras. Foi deferida ainda a ordem de sequestro de bens no montante total de mais de R$ 5,7 bilhões.

Segundo a PF, tanto Nascimento quanto Rydl responderão pelos crimes de usurpação de bens da União, organização criminosa, lavagem de dinheiro, extração ilegal do ouro, contrabando, falsidade ideológica, receptação qualificada e outros tipos penais.

Fonte: Extra Classe

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo