Noticias

Polícia e MP tentam prender famoso bicheiro por assassinato de advogado; três já foram presos

Bicheiro carioca é acusado de matar advogado

A Polícia Civil e o Ministério Público do Rio de Janeiro iniciaram uma operação, nesta quinta-feira (27), em busca de Bernardo Bello, um dos chefes do jogo do bicho na cidade. Segundo as autoridades, o bicheiro está envolvido na morte do advogado Carlos Daniel Dias André, assassinado em maio de 2022.

De acordo com as autoridades, além de Bello, outras três pessoas também suspeitas de estarem envolvidas no crime foram presas. São eles:

  1. Marcelo Magalhães (sócio em uma empresa especializada em vender kits para churrasco);
  2. Alan Diego (ex-sócio de Marcelo e apontado como braço financeiro da organização criminosa chefiada pelo bicheiro);
  3. Wallace Pereira Mendes (agente penitenciário).

Autoridades realizam buscas pelo bicheiro

O caso está sendo apurado pela Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí e pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco/MPRJ). Nesta quarta-feira, as autoridades foram às ruas para cumprir 6 mandados de prisão e 13 de busca e apreensão nos bairros da Barra da Tijuca, Recreio dos Bandeirantes, Jacarepaguá, Olaria, Penha, Piedade e Quintino Bocaiúva. 

Durante a operação, foram apreendidos ainda dinheiro em espécie e várias armas, como pistolas, fuzis e submetralhadoras.

Durante uma coletiva de imprensa, o promotor Fábio Correa, chefe do Gaeco disse:

Investigações complexas porque essas organizações têm marcas e precisam de expertise. Essa é uma ação de um momento que vem de instabilidade no submundo [do crime] e essa é uma resposta para a população”

Sobre a morte do advogado, o delegado titular da DHNISG relatou:

“Nesse tipo de homicídio, principalmente no jogo do bicho, eles agem de maneira minunciosa. Eles alugaram o hotel para monitorar, usaram um GPS. Ao longo da investigação comprovamos a atuação do bicheiro Bernardo Bello no crime, além do Marcelo Repolhão seu braço armado”

Leia mais:

Caso Marielle Franco: Maxwell é transferido para presídio federal em Brasília

Comandante do ‘tribunal do crime’ é preso após ser expulso de facção por ‘matar demais’

A morte do advogado

Segundo as autoridades, o assassinato do advogado foi efetivado a mando do bicheiro após um conflito — mediado pelo advogado — com uma empresa do ramo alimentício cujo desfecho desagradou aos chefes do grupo criminoso.

O advogado Carlos Daniel foi morto por dois homens em uma moto na Região Oceânica de Niterói. A vítima estava no carro com o seu filho quando foi abordado ao parar em um sinal de trânsito. O atirador disparou pela janela do carona, mas o filho de Carlos Daniel não foi atingido.

Ainda segundo as investigações, o carro do advogado era blindado, mas a janela do carona estava com uma pequena abertura — o suficiente para os disparos o atingirem.

Carlos Daniel é ex-policial civil e passou a atuar como advogado depois de ser expulso da corporação, e 2011, ao ser flagrado pela Polícia federal transportando traficantes que tentavam escapar do cerco à favela da Rocinha para a implantação da UPP.

Carlos foi condenado e cumpriu 6 anos de prisão, durante esse período estudou e se formou em direito, tornando-se especialista no ramo de execuções penais.

bicheiro
Advogado Carlos Daniel

Fonte: G1

 

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo