NoticiasDireito Penal

Polícia prende três suspeitos pelo assassinato de advogado; motivação do crime ainda é desconhecida

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) apresentou, nesta terça-feira, 20 de dezembro, informações sobre a localização do corpo do advogado criminalista, de 34 anos, que havia desaparecido em Montes Claros, região Norte do estado, no dia 13 deste mês.

O corpo da vítima foi encontrado enterrado em um quintal na segunda-feira, 19 de dezembro.

De acordo com a delegada Francielle Drumond, que conduz a investigação, em 13 de dezembro, foi instaurado procedimento para apurar o desaparecimento do criminalista, sendo que, no dia posterior, o veículo dele foi encontrado abandonado em um motel na cidade de Contagem, Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Na mesma data, a PCMG obteve acesso às imagens das câmeras de um pedágio que flagraram duas pessoas conduzindo o carro da vítima e, segundo a família dela, nenhum deles era o advogado.

Desde o desaparecimento, as polícias Civil e Militar realizaram vários levantamentos no intuito de localizar a vítima, bem como as duas pessoas que teriam levado o carro dela até Contagem. No dia 18, um motorista de aplicativo foi baleado e agredido com várias facadas na zona rural de Montes Claros.

Sobre o crime, ele afirmou que teria sido motivado pelo envolvimento dele no desaparecimento do advogado. 

Três acusados pelo assassinato de um advogado criminalista já foram presos

Na versão apresentada à polícia, a vítima da tentativa de homicídio afirmou que teria recebido a quantia de R$ 1 mil para dirigir e abandonar o veículo do advogado no motel, em Contagem.

O homem ainda contou aos policiais quem teria o contratado como motorista e quem teria tentado contra a vida dele. No mesmo dia, dois suspeitos foram presos em flagrante pelo crime.

O terceiro envolvido foi localizado no dia 19 e também permanece detido. Por meio das prisões, a PCMG conseguiu reunir informações e relacionar o crime de homicídio tentado com o desaparecimento do advogado, localizando o cadáver no bairro Santos Dumont, em Montes Claros.

O corpo da vítima estava na casa de um familiar de um dos investigados, enterrado em um quintal, enrolado em lençol, na posição lateral, em um buraco de aproximadamente 1 metro, fechado com concreto.

No pescoço da vítima havia um cinto, sinalizando que ela poderia ter sido morta por asfixia, entretanto, durante necropsia, foi verificado que a causa da morte foi traumatismo craniano.

Além disso, o médico-legista pontuou que havia uma distensão considerável no tórax, indicando que a vítima foi agredida antes de morrer.

Segundo a delegada, a motivação do crime ainda será esclarecida, pois, conforme apurado, havia entre a vítima e os três suspeitos uma relação de amizade.

O trio investigado segue preso. Um quarto suspeito continua sendo procurado.

A Polícia Civil continua as investigações visando esclarecer qual o envolvimento dos três homens na morte do advogado e não descarta a participação de outras pessoas.

Fonte: Estado de Minas

Daniele Kopp

Daniele Kopp é formada em Direito pela Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC) e Pós-graduada em Direito e Processo Penal pela mesma Universidade. Seu interesse e gosto pelo Direito Criminal vem desde o ingresso no curso de Direito. Por essa razão se especializou na área, através da Pós-Graduação e pesquisas na área das condenações pela Corte Interamericana de Direitos Humanos ao Sistema Carcerário Brasileiro, frente aos Direitos Humanos dos condenados. Atua como servidora na Defensoria Pública do RS.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo