Polícia tailandesa vasculha a vida secreta de Sancho antes e depois do crime

As investigações estão em curso, visando estabelecer a premeditação do crime

As autoridades policiais da Tailândia estão atualmente conduzindo uma investigação sobre os contatos do cidadão espanhol, Daniel Sancho, antes e depois do terrível crime, quando ele assassinou e esquartejou o colombiano Edwin Arrieta, em Kon Phangan. As investigações estão em curso, visando estabelecer a premeditação do crime por parte de Sancho.

Nas próximas horas, os agentes esperam a divulgação dos resultados das análises forenses realizadas nos restos mortais encontrados no local de eliminação em Kho Phangan. Foi nesse local que Sancho desfez-se de parte do corpo de Arrieta, e foi essa descoberta que desencadeou uma operação policial que levou à sua prisão preventiva na penitenciária de Samui.

canalcienciascriminais.com.br policia tailandesa vasculha a vida secreta de sancho antes e depois do crime crime
Fonte: Globo

Leia mais:

Goleiro Bruno leva indenização de R$ 30 mil por capa de livro sobre Eliza Samúdio

Caso Hyara: polícia conclui que adolescente foi morta em brincadeira por cunhado de 9 anos

Vale ressaltar que a investigação avançou rapidamente devido à colaboração de Sancho, que indicou às autoridades tailandesas todos os locais relacionados ao crime. As pessoas com as quais ambos tiveram contato quando estavam juntos já foram interrogadas, assim como os responsáveis ​​pelas lojas onde ele realizou compras para preparar o homicídio.

No momento, os contatos que Daniel Sancho manteve após a ocorrência do homicídio (que se deu na noite de quarta-feira, 2 de agosto) são considerados de extrema importância para desvendar o motivo exato do crime. Fontes locais indicam que uma combinação de motivos psicológicos, sexuais e problemas no relacionamento podem ter levado ao crime.

No dia seguinte à morte de Arrieta, ou seja, em 3 de agosto, Sancho participou de uma festa de lua cheia na companhia de dois jovens que ele conheceu no hotel. Uma testemunha afirmou ao programa de televisão La Hora da TVE que viu Sancho jantando com um jovem normalmente nessa mesma noite, embora sem fornecer mais detalhes. As autoridades tailandesas anunciaram que Daniel Sancho, de 29 anos, será acusado de homicídio premeditado. Em caso de culpado, ele pode enfrentar pena de prisão perpétua ou até mesmo pena de morte.

O crime ocorreu poucos dias depois de Sancho chegar à Tailândia, em 31 de julho

A polícia tailandesa estima que a investigação pode levar de quatro a seis meses. Durante esse período, Sancho permanecerá sob custódia na prisão de Koh Samui, para onde foi levado na segunda-feira. Daniel Sancho chegou à Tailândia como turista em 31 de julho, e o crime ocorreu poucos dias depois. De acordo com o Bangkok Post, Sancho confessou ter se encontrado com a vítima por volta das 14h00 do dia 2 de agosto, e eles andaram juntos de motocicleta. Após retornarem ao hotel, eles tiveram uma discussão depois que Arrieta pediu para terem relações sexuais. Sancho teria agredido Arrieta, deixando-o inconsciente.

canalcienciascriminais.com.br policia tailandesa vasculha a vida secreta de sancho antes e depois do crime crime 1
Fonte: Monet

Em pânico, Sancho o levou para o banheiro e tentou reviver Arrieta sem sucesso. Depois de esperar uma hora sem resposta, Sancho decidiu desmembrar o corpo do médico, um processo que alegadamente durou cerca de três horas. Por volta das 21 horas daquele mesmo dia, Sancho começou a colocar os restos mortais de Arrieta em sacos plásticos pretos e alugou um caiaque para se livrar de parte dos restos no mar.

O resto do corpo foi levado para um depósito na ilha horas depois, onde foi descoberto depois por um trabalhador. No domingo, Daniel Sancho acompanhou os investigadores a vários locais onde supostamente se livrou das partes restantes do corpo da vítima.

Fonte: Mundo ao Minuto