- Publicidade -

Policiais dão voz de prisão a juiz do TJPR que expediu o mandado

- Publicidade -

Policiais foram até casa de um juiz do TJOR e tocaram a campainha dizendo apenas que eram do Fórum Criminal. Assim que o juiz se apresentou, os policiais teriam dado voz de prisão a ele.

- Publicidade -

O juiz, que atua na 1ª Vara de Execuções Penais de Curitiba há dez anos, pediu para ver o mandado de prisão, mas os policiais teriam dito que não tinham o documento, mostrando apenas um print na tela do celular.

O documento mostrado pelos policiais na tela do celular, havia sido assinado pelo próprio juiz duas horas mais cedo e tratava-se de um mandado de prisão de um caso de furto.

O nome do juiz, de fato, constava no mandado de prisão, mas no campo “juiz expedidor”. Verificado o erro, os policiais pediram desculpas e teriam afirmado que o “setor de inteligência” é que havia passado a informação errada.

Segundo o juiz, o caso será resolvido institucionalmente e o Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR) está apurando a situação. A assessoria do TJPR disse que está verificando, junto com a Polícia Militar, como teria ocorrido a suposta falha de comunicação para “providenciar a devida correção no fluxo do procedimento” e “evitar que situações similares ocorram”.

- Publicidade -

- Publicidade -

Leia também

TJRJ rejeita exceção de suspeição contra juíza do caso Flordelis

Quer estar por dentro de todos os conteúdos do Canal Ciências Criminais?

Siga-nos no Facebook e no Instagram.

Disponibilizamos conteúdos diários para atualizar estudantes, juristas e atores judiciários.

- Publicidade -

Comentários
Carregando...

Este website usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar Leia Mais