- Publicidade -

Policial militar que efetuou disparos no Farol da Barra é morto pelo BOPE

- Publicidade -

Weslei Soares, policial militar que efetuou disparos em via pública, bloqueou a parte da frente do Farol da Barra na tarde do último domingo (28), de modo que o Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE), que estava no contingente da operação, após tentativas de negociação infrutíferas, neutralizou o PM, sendo que Weslei foi baleado em três regiões do corpo.

- Publicidade -

Policial militar que efetuou disparos

Conforme a Secretaria da Segurança Pública (SSP-BA), o policial afirmou que havia chegado o momento e, então, fez uma contagem regressiva e começou a disparar contra as equipes policiais. Em resposta, o BOPE disparou 10 (dez) vezes contra o soldado mas, ao cair no chão, o rapaz continuou a efetuar disparos de arma de fogo contra a equipe, que continuou revidando até cessar a agressão, momento em que os policiais se aproximaram para iniciar o resgate e socorro.

O Capitão Luiz Henrique foi o responsável pelas tentativas de negociação, mas Weslei atacou as equipes, não só colocando a vida dos policiais em risco, mas também dos moradores da área residencial do local. Já o comandante do Bope, major Clédson Conceição, afirmou que o homem tinha picos de lucidez, e que não falava coisas com sentido, estava bastante transtornado.

Antes de chegar ao local com uma  Renault Duster marrom, Weslei estava sendo perseguido por viaturas da PM desde a Avenida Sete de Setembro, por efetuar disparos para o alto que começaram na Avenida Centenário. Chegando ao ponto turístico de Salvador, o rapaz pintou a face de verde, bradou palavras de ordem e efetuou disparos dezenas de vezes.

- Publicidade -

Weslei era integrante da 72ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM), de Itacaré, no sul da Bahia. Após a ação do BOPE, o rapaz foi encaminhado para o Hospital Geral do Estado (HGE) que confirmou a morte em conjunto com a Secretaria da Segurança Pública (SSP-BA) às 22h41.

- Publicidade -

*Esta notícia não reflete, necessariamente, o posicionamento do Canal Ciências Criminais

Leia mais:

Entenda como identificar uma prisão ilegal e como agir diante disso


Quer estar por dentro de todos os conteúdos do Canal Ciências Criminais?

- Publicidade -

Siga-nos no Facebook e no Instagram.

Disponibilizamos conteúdos diários para atualizar estudantes, juristas e atores judiciários.

- Publicidade -

Comentários
Carregando...

Este website usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar Leia Mais