Advocacia CriminalArtigos

Por que escolhi a advocacia criminal?

Por que escolhi a advocacia criminal?

Esta é a minha primeira publicação, desde já agradeço a todos que manifestaram interesse ou tiveram curiosidade em entrar em minha página, aos poucos e com o passar do tempo enriquecerei meu sítio, falando sempre, é claro, de uma das minhas maiores paixões: a advocacia criminal.

Por que escolhi a advocacia criminal? Acredito que a resposta não seja tão fácil, aliás, de fato não é! Primeiro, porque este que vos fala é um neófito da advocacia, que ainda não tomou as dolorosas chibatadas dos percalços da vida profissional, segundo, porque desde já, passei a lidar com o assédio dos olhares maldosos daqueles que em mente ou reservadamente dizem: Aquele é advogado de vagabundo, de “noiado”!

Como qualquer acadêmico, e no meu caso no segundo semestre, a primeira disciplina específica do curso que me foi apresentada foi o Direito Penal I, fiquei fascinado, e como não amar?

E ainda ser agraciado em ter como professor um verdadeiro amante da área, militante, e que desde sempre procurou associar o banco da academia a sua labuta profissional. O tempo foi passando e a paixão queimando dentro de mim, em minha mente só existia espaço para uma coisa: Direito Penal.

Estava decidido em me tornar advogado criminalista! Formei, e com a formatura, as dúvidas agora me assombravam, pois já havia sido aprovado no Exame de Ordem, mas, estava desempregado, aliás, eu somente não, diversos colegas viviam perturbados com o “espírito obsessor” do desemprego e da dúvida.

Como espírita afastado aprendi que para cada obsessor existe um  “espírito de luz”, comecei a frequentar e participar do escritório de um advogado muito respeito, respeito adquirido não apenas pelas causas vencidas, mas também pelo caráter e retidão, vindo logo após, tornar-se meu mentor jurídico.

No escritório percebi que na prática a teoria é outra, desisti da área crime e iniciei uma pós graduação em Direito do Trabalho, de fato tenho simpatia e ternura por esta área, mas de longe se tornaria a minha dama de vestido longo e olhos vendados por quem havia caído de paixões, resultado: Abandonei a pós em Trabalho e iniciei outra em Processo Penal. Agora sim estava amando verdadeiramente!

Por que escolhi a advocacia criminal? Respondendo agora o motivo da minha escolha: Amo minha profissão, pois é através dela que lutarei contra os abusos daqueles que detém o poder da caneta.

Sobral Pinto em seu magistério dizia que a advocacia não é para os covardes. Muito se confunde o advogado com a pessoa do seu cliente, muitas vezes, por ignorância, relevamos, mas desde já deixo de sobreaviso aqueles que por inocência ou ignorância faz tal confusão, o causídico não defende os fatos (crime), mas sim a pessoa que poderá ser responsabilizada por um gravame maior do que deveria, pois a nossa justiça ainda não aprendeu a julgar na sua acepção técnica,  o que mais existe na praxe são decisões e julgamentos com base no apelo popular, como se aquela população estivesse despida de cometer crime algum.

O advogado não presta até o momento em que alguém da família daquele que tanto aponta o dedo, for preso! Pois a nossa grama é sempre melhor do que a do vizinho.

Afirmo em alto e bom som que qualquer um pode se tornar um assassino, mas nem todo assassino de fato será um criminoso! Assim sendo, com esta afirmação contraditória agradeço pela visita.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Josiel Carvalho

ARTIGOS RELACIONADOS

Fechar