Noticias

Presidente do Banco Central bola estratégia ousada para coibir crimes no PIX

Presidente do Banco Central discute segurança no PIX e combate a contas fantasmas

O presidente do Banco Central do Brasil (BC), Roberto Campos Neto, tem chamado atenção para a segurança na utilização do PIX, a nova forma de pagamento instantâneo que ganhou popularidade no país. Em uma recente declaração, Campos Neto reforçou a necessidade de combater as contas fantasmas ou de aluguel, que são frequentemente usadas como destinos finais do dinheiro extorquido em crimes, como sequestros relâmpagos.

Leia mais:

Bolsonaro e as joias: como Alexandre de Moraes planeja garantir que ex-presidente seja julgado pelo STF

Caso Leonard Mack: DNA prova a inocência após 47 anos de condenação injusta

Como podem ser aprimoradas as medidas de segurança no PIX?

Durante um evento promovido pelo Banco J.P. Morgan em São Paulo, Campos Neto afirmou que o Banco Central precisa atacar essas contas para coibir esses crimes. “Se, em tese, não existisse nenhuma conta de aluguel e nenhuma conta fantasma, se alguém fizesse uma fraude no PIX, teria que transferir para uma outra conta que seria identificada e seria rastreável“, esclareceu o presidente do BC.

Campo Neto testou pessoalmente a fragilidade do sistema?

Sim, o presidente do Banco Central alertou que as instituições financeiras têm que aperfeiçoar o controle de abertura de novas contas, dificultando a ação de laranjas. Para enfatizar este ponto, Campos Neto compartilhou uma experiência pessoal onde ele conseguiu testar a fragilidade do sistema bancário ao abrir uma conta. “Teve um dia que eu fiz uma experiência de diminuir a pixagem [definição] da foto e quase não dava para ver que era eu, e dá para abrir [a conta bancária]”, revelou.

Números do PIX no Brasil

Dados do BC de dezembro de 2022 mostram que 133 milhões de pessoas e 11,9 milhões de empresas usam o PIX no Brasil. O valor médio das transações entre pessoas físicas é de R$ 257. Estes números impressionantes demonstram a popularidade e a importância do PIX no cenário financeiro nacional, aumentando a necessidade de medidas mais eficazes para garantir a segurança dos usuários.

Em conclusão, embora o PIX tenha facilitado as transações financeiras no Brasil, a segurança ainda é um problema que precisa ser resolvido. As afirmações de Campos Neto reforçam a importância das instituições financeiras no combate às contas fantasmas e no reforço da segurança no uso do PIX.

Redação

O Canal Ciências Criminais é um portal jurídico de notícias e artigos voltados à esfera criminal, destinado a promover a atualização do saber aos estudantes de direito, juristas e atores judiciários.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo