- Publicidade -

Rebelião no presídio de Altamira (PA) escancara o abandono do sistema prisional brasileiro

- Publicidade -

Rebelião no presídio de Altamira (PA) escancara o abandono do sistema prisional brasileiro

- Publicidade -

A rebelião ocorrida no Centro de Recuperação Regional de Altamira (PA), nesta segunda-feira (29/07), culminou na morte de pelo menos 57 detentos, sendo 16 decapitados e 41 asfixiados, de acordo com a Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe).

A unidade prisional contava, quando da rebelião, com 311 detentos. Porém, sua capacidade máxima é de 200 presos. Já o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), quando da inspeção realizada, referente ao mês de julho/2019, contatou a existência de 343 presos para apenas 163 vagas nesta unidade penitenciária. Ou seja, há divergência ente os dados da Susipe e do CNJ, mas os dois casos revelam a superlotação neste presídio.

Analisando a rebelião no presídio de Altamira

- Publicidade -

Em minha ótica, infelizmente, a ausência de informações precisas sobre o sistema prisional dificulta, ainda mais, a busca de uma melhora para este tema tão marginalizado, que são os presídios brasileiros.

O problema de superlotação enfrentado no Centro de Recuperação de Altamira (PA) é regra em nosso sistema penitenciário brasileiro, o qual possui, segundo o Infopen, referente a junho de 2017, um déficit de mais de 300 mil vagas, aliado à ausência de oportunidade de estudo e trabalho para a grande maioria dos detentos, o que dificulta, ainda mais, a ressocialização do preso.

Enquanto a sociedade não se conscientizar de que muitos dos problemas de violência enfrentados do lado de fora dos presídios estão diretamente ligados ao que ocorre dentro deles, não haverá o necessário interesse e investimento para melhoria das condições destes presídios, o que poderia gerar, no longo prazo, uma diminuição dos crimes cometidos nas ruas.


Quer estar por dentro de todos os conteúdos do Canal Ciências Criminais?

Siga-nos no Facebook e no Instagram.

- Publicidade -

Disponibilizamos conteúdos diários para atualizar estudantes, juristas e atores judiciários.

- Publicidade -

Comentários
Carregando...

Este website usa cookies para melhorar sua experiência. AceitarLeia Mais

Exame de DNA resolve caso de assassinato mais de 50 anos depois Justiça brasileira investigou Margarida Bonetti, mas nunca a encontrou Goleiro Bruno cria vaquinha online para pagar pensão Nova lei em Salvador define multa para quem assediar mulheres Justiça manda prender goleiro Bruno por não pagar pensão alimentícia