Noticias

Após megaoperação, Renato Cariani vai depor à Polícia Federal; entenda o caso

Renato Cariani depõe à PF 

Renato Cariani, influenciador fitness de 47 anos, deve prestar depoimento à Polícia Federal nesta segunda-feira (18/12). Ele se tornou alvo de uma operação que visa desarticular um esquema de desvio de produtos químicos destinados à produção de drogas ilícitas.

Depoimento de traficante e revelações sobre a Anidrol

A empresa de Cariani, mencionada no depoimento de um traficante, é a Anidrol, da qual ele é sócio desde 2008. Investigações apontam que a Anidrol teria vendido produtos para o tráfico, utilizando negociações dissimuladas como transações legais.

canalcienciascriminais.com.br renato cariani e alvo de operacao da pf que mira trafico de drogas e desvio de produto quimico para fazer crack renato cariani2
Após megaoperação, Renato Cariani vai depor à Polícia Federal; entenda o caso 2

Leia Mais:

Mãe presa 20 anos por matar filhos tem condenações anuladas na Austrália

Sorofobia é crime: saiba mais sobre os direitos das pessoas que vivem com HIV no Brasil

Fenacetina e solventes com potencial para drogas

As investigações indicam que a Anidrol pode ter comercializado 4.875kg de fenacetina, substância que poderia resultar em 12,2 toneladas de crack, além de solventes suficientes para produzir 1.640kg de cocaína.

Envolvimento com AstraZeneca

O caso envolve ainda a emissão de notas fiscais falsas, incluindo alegações de produtos relacionados à AstraZeneca que, segundo a empresa, nunca entraram no país. Pagamentos suspeitos eram realizados por Fábio Spinola, apontado como elo entre Renato Cariani e o tráfico de drogas pela PF.

Esquema fraudulento 

As investigações descobriram um esquema de emissão fraudulenta de notas fiscais por empresas licenciadas para vender produtos químicos em São Paulo, utilizando “laranjas”. 

Os envolvidos podem ser responsabilizados por tráfico equiparado, associação para fins de tráfico e lavagem de dinheiro, enfrentando penas que podem ultrapassar 35 anos de reclusão.

Operação Hinsberg

A operação, batizada de Hinsberg, recebeu apoio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público de São Paulo (MPSP) e da Receita Federal. 

O nome da operação é uma homenagem a Oscar Hinsberg, químico cuja percepção possibilitou a conversão de compostos químicos em fenacetina, principal insumo desviado no esquema em questão.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo