- Publicidade -

Robinho teve ‘particular desprezo’ pela vítima, diz justiça da Itália

- Publicidade -

De acordo com a justiça italiana, o jogador de futebol, Robinho teve ‘particular desprezo’ pela vítima de violência sexual. A manifestação faz parte da sentença que condenou o jogador brasileiro Robinho a 09 (nove) anos de prisão, por violência sexual em grupo. A condenação em segunda instância foi confirmada no ano passado (2020).

- Publicidade -

Robinho teve ‘particular desprezo’

O caso ocorreu no dia 22 de janeiro de 2013, ocasião em que a vítima comemorava seu aniversário em uma boate na Itália, chamada Sio Café. Na ocasião, Robinho e outros quatro brasileiros, também na mesma boate, teriam abusado sexualmente da vítima, que, por sua vez, estava bêbada ao ponto de ficar inconsciente, tendo relações sexuais no momento em que não era capaz de consentir e/ou resistir.

Conforme demonstra a sentença, o fato é extremamente grave pela modalidade, número de pessoas envolvidas e o particular desprezo manifestado para com a vítima, que foi brutalmente humilhada e usada para o próprio prazer pessoal.

A confirmação da sentença em segunda instância foi proferida em dezembro do ano passado, mas foi publicada somente na manhã desta terça-feira (09/03). A corte ainda alegou ter havido uma tentativa de “enganar as investigações oferecendo uma versão dos fatos falsa e previamente combinada”. Além de Robinho, Ricardo Falco (amigo do jogador) também foi condenado a 09 (nove) anos de prisão.

- Publicidade -

Com a publicação da decisão em segunda instância, a defesa do jogador já confirmou que irá recorrer à terceira instância da Justiça italiana, e, conforme o Código de Processo Penal italiano, terá 45 (quarenta e cinco) dias para recorrer.

- Publicidade -

*Esta notícia não reflete, necessariamente, o posicionamento do Canal Ciências Criminais

Leia mais:

Entenda como identificar uma prisão ilegal e como agir diante disso


Quer estar por dentro de todos os conteúdos do Canal Ciências Criminais?

- Publicidade -

Siga-nos no Facebook e no Instagram.

Disponibilizamos conteúdos diários para atualizar estudantes, juristas e atores judiciários.

- Publicidade -

Comentários
Carregando...

Este website usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar Leia Mais