Noticias

Rússia autoriza extradição de suspeito de ataque a Porta dos Fundos

Acusado de  integrar o grupo que jogou coquetéis molotov na fachada da produtora Portas dos Fundos em dezembro de 2019, na zona sul do Rio de Janeiro, e preso pela Interpol em Moscou, na Rússia, em setembro de 2020, Eduardo Fauzi teve sua extradição autorizada pela Procuradoria-Geral da Rússia.

Eduardo está preso preventivamente em uma penitenciária federal, em Moscou, e será entregue às autoridades brasileiras no Aeroporto Internacional de Moscou, duas horas antes do voo.

O acusado vai responder perante as autoridades brasileiras pelo crime de terrorismo, mas já possui uma vasta ficha criminal: 12 passagens pela polícia. É investigado por ameaça, lesão corporal e formação de quadrilha.

Em 2020, ele teria sido identificado pela polícia como autor de um ataque contra uma produtora, onde ele teria jogado uma arma química incendiária, conhecida como coquetéis molotov, na sede da produtora Porta dos Fundos. Teve sua prisão preventiva decretada, mas já havia fugido do país.

A polícia apreendeu nos endereços ligados a Fauzi um total de R$119 mil, duas armas de brinquedo, facas, e uma camisa de uma associação que se diz nacionalista.

O juiz do caso ordenou que fossem tomadas as providências para encaminhar o acusado à prisão no Rio de Janeiro, assim que chegasse ao Brasil. Ele ficará no presídio José Frederico Marques, em Benfica, Zona Norte do Rio de Janeiro.

Leia também

Prisões baseadas em reconhecimento fotográfico podem ser reavaliadas


Quer estar por dentro de todos os conteúdos do Canal Ciências Criminais?

Siga-nos no Facebook e no Instagram.

Disponibilizamos conteúdos diários para atualizar estudantes, juristas e atores judiciários.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo