Relembre o que foi o ‘sequestro do ônibus 174’ e como a violência estrutural ainda afeta o Brasil

Drama no Jardim Botânico: O sequestro que comoveu o Brasil e inspirou o filme Ônibus 174

No dia 12 de junho de 2000, a tranquilidade do Jardim Botânico, no Rio de Janeiro, foi abalada por um acontecimento horrível. O jovem Sandro Barbosa do Nascimento, de 21 anos e sobrevivente da Chacina da Candelária, sequestrou um ônibus carioca, o famoso 174, provocando um dos mais chocantes episódios de violência do país.

Por volta das 14h20, Sandro embarcou no ônibus de bermuda e camiseta, com um revólver 38 à mostra. Sem hesitar, ele rendeu todos os passageiros causa ainda tornado mais alarmante, pois era um dos sobreviventes da terrível Chacina da Candelária.

onibus
Imagem: comapalavra

LEIA MAIS:

MP Eleitoral pede investigação do deputado Pastor Isidório por crime de violência de gênero

STJ decide que réu não deve se pronunciado se houver dúvidas sobre indícios de autoria

O início do sequestro ao ônibus que comoveu o país

Após vinte minutos da tomada do ônibus, uma viatura policial foi sinalizada por um dos passageiros. Com a chegada da polícia, alguns dos ocupantes do veículo conseguiram escapar, mas 10 deles acabaram permanecendo como reféns de Sandro.

O desenrolar da drama e a fuga desesperada

A primeira vítima a entrar na mira da arma de Sandro foi Luciana Carvalho, obrigada a dirigir o ônibus. Logo depois, ele deu um tiro direcionado ao vidro do coletivo, amedrontando todos os presentes e marcando o início real de seu ato violento.

Aos poucos, Sandro foi liberando reféns enquanto mantinha uma atmosfera de terror. Sob seu comando, uma das reféns escreveu mensagens ameaçadoras nas janelas do ônibus com batom, como “Ele vai matar geral às seis horas” e “Ele tem pacto com o diabo”. Mesmo com a grande tensão, ele teve momentos de crueldade, como quando cobriu a cabeça de Janaína Neves com um lençol, contou até cem e, ao final, fingiu atirar, ameaçando a polícia.

A resposta trágica da polícia

Após cerca de cinco horas de terror, Sandro resolveu descer do ônibus, carregando como escudo a professora e gestante Geísa Firmo Gonçalves. No desespero, um policial atirou, mas acertou a refém, que morreu na hora. Sandro foi finalmente rendido e morreu pouco tempo depois, por asfixia, dentro da viatura policial.

Este terrível caso inspirou o filme Ônibus 174, lançado em 2002, dirigido por José Padilha, que conta mais a fundo a história de vida de Sandro. Um fato lamentável e que marcou a história do Brasil, passado para a posteridade em formato cinematográfico.

canalcienciascriminais.com.br onibus 174 o chocante sequestro no jardim botanico que inspirou o cinema brasileiro onibus
Relembre o que foi o 'sequestro do ônibus 174' e como a violência estrutural ainda afeta o Brasil 3

Deseja saber mais?

Os interessados em conhecer mais detalhes desta tragédia e de outros crimes que abalaram o Brasil podem conferir as obras disponíveis no Amazon. Dentre elas estão “O pior dos crimes”, de Rogério Pagnan, “Casos de Família”, de Ilana Casoy, e “Richthofen”, de Roger Franchini.

Além disso, vale lembrar que todas as informações dos produtos citados correspondem à data da publicação deste artigo. A Aventuras na História pode receber uma parcela das vendas ou outro tipo de compensação pelos links destacados no conteúdo.