Noticias

Aileen Wuornos: matou nos EUA e na Europa; conheça a história da prostituta que virou serial killer

Um olhar psicológico sobre a história da assassina em série Aileen Wuornos

No coração sombrio da história criminal americana, muitas figuras aterrorizantes surgem. Entretanto, Aileen Wuornos, a décima mulher condenada à morte nos EUA, surge como um dos exemplos mais horríveis do lado mais sombrio da sociedade americana. Nascida em fevereiro de 1956, ela foi abandonada pela mãe e sofreu abusos físicos e sexuais constantes na infância. Abusos que, em última análise, a moldaram e a impulsionaram para um caminho distorcido de homicídios.

Aileen, conhecida como Lee, viveu uma infância difícil. Oriunda de uma família desestruturada, ela engravidou aos 14 anos de idade após ser estuprada por um amigo dos avós. Depois de dar à luz, Lee foi morar nas ruas. O início adulto foi marcado por prostituição e abuso de drogas, levando-a a vários problemas com a lei.

Aileen Wuornos
Imagem: reprodução/ Aventuras na Historia

LEIA MAIS:

Como a pirataria e contrabando estão ligadas ao crime organizado?

URGENTE: Bolsonaro apresenta queixa-crime no STF contra Lula

Os primeiros sinais de serial killer

Com uma vida marcada por tumultos, as infrações de Lee foram aumentando gradualmente. Ela foi acusada de vários crimes, incluindo roubos e assaltos à mão armada, conduta desordeira e dirigir embriagada. Além disso, se irritava com facilidade, isso ficou evidente após agredir seu marido de 69 anos, Lewis Fell, o que acelerou o fim do casamento de nove semanas.

Desgostosa com os homens, Aileen começou a frequentar bares homossexuais, onde conheceu Tyria Moore, com quem iniciou um relacionamento amoroso. Apesar da união, Aileen continuava a se prostituir, o que eventualmente a levou para o caminho do assassinato.

Aproximação mortal

Em 1989, a trajetória criminal de Aileen realmente começou, quando ela afirmou ter matado Richard Mallory, um de seus clientes, em legítima defesa. Depois disso, outras seis vítimas seguiram, todas homens. Cada um deles foi morto a tiros à queima-roupa e seus corpos abandonados em estradas remotas, uma característica típica de assassinos seriais.

Em 1990, o carro de uma das vítimas, Peter Siems, foi deixado em uma batida. As testemunhas conseguiram fazer um retrato falado de duas mulheres no local do acidente, o que levou as autoridades a identificar Aileen e Tyria.

Aileen Wuornos
Imagem: reprodução/ Fandom

Aileen Wuornos: assassina em série ou vítima do sistema?

Aileen foi presa em 1991 e, após uma série de provas e depoimentos de Tyria, foi condenada à pena de morte por seis dos assassinatos que havia cometido. A defesa de Aileen tentou alegar que todos os homicídios foram cometidos em legítima defesa, mas o júri não aceitou tal argumento.

Aileen Wuornos foi executada em 9 de outubro de 2002 por injeção letal. Embora ela fosse uma assassina múltipla, muitas pessoas ainda defendem sua versão dos fatos, sugerindo que ela era mais uma vítima de um sistema falho do que um verdadeiro monstro.

A trama de vida e morte de Aileen Wuornos serviu de inspiração para várias obras da cultura pop, como o filme ‘Monster – Desejo Assassino’, que rendeu a Charlize Theron o prêmio de melhor atriz no Oscar. As séries “Law & Order”, “Criminal Minds” e “American Horror Story”, bem como o filme “Overkill: A História de Aileen Wuornos”, também retrataram os crimes da assassina.

Redação

O Canal Ciências Criminais é um portal jurídico de notícias e artigos voltados à esfera criminal, destinado a promover a atualização do saber aos estudantes de direito, juristas e atores judiciários.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo