Noticias

Conheça a história real que inspirou série documental da Netflix sobre filho que assassinou o próprio pai

Por trás do perturbador documentário da Netflix “Matei Meu Pai”: A verdadeira história de Anthony Templet

No recente documentário da Netflix, “Matei Meu Pai“, somos confrontados com a história real e chocante de Anthony Templet, que aos 17 anos assassinou seu próprio pai, Burt, em sua casa em Baton Rouge. Inicialmente, o crime parece ser bastante simples e direto, mas, ao investigar mais a fundo, percebemos que o caso e a própria história de Anthony são muito mais complexos do que pareciam à primeira vista.

Anthony Templet aparece frequentemente na série de documentários, e logo no início, ele já faz uma afirmação surpreendente: Quando perguntado sobre por que queria compartilhar sua versão da história, ele responde: “É importante, pois minha vida está em jogo e eu quero que as pessoas saibam que eu não sou louco, nem assassino e sou inocente”.

LEIA MAIS:

INÉDITO: A Análise detalhada que desvendou o Caso Nardoni – com Ullisses Campbell e Beto Ribeiro

Por onde anda e o que aconteceu com Andreas, irmão de Suzane von Rihthofen?

O crime e a investigação

Em 3 de junho de 2019, Anthony atirou e matou seu pai, Burt Templet, de 53 anos. Depois do crime, ele mesmo ligou para a polícia relatando o ocorrido e confessou o homicídio, alegando que agiu em legítima defesa durante uma discussão acalorada com seu pai, que estava embriagado e agressivo.

Os detalhes do caso e as investigações estão bem documentados na série, e cada nova descoberta revelada traz ainda mais reviravoltas à trágica história de Anthony e sua família. O caso ganhou ainda mais atenção da mídia quando Natasha, meia-irmã de Anthony, revelou que ele havia sido sequestrado pelo pai em 2008, quando tinha apenas 5 anos.

Sequestro e abuso

Natasha contou que durante 11 anos, Anthony foi mantido em isolamento e sofreu diversos abusos por parte do pai. Sua mãe, Teresa Thompson, também relatou ter sido vítima de violência enquanto estava em um relacionamento com Burt. Para isso, a exemplo da confissão de Anthony, a série mostra também as falas de Natasha e Thompson, expondo o passado de abusos e dificuldades pelos quais passaram.

canalcienciascriminais.com.br 7 otimas series true crime na netflix para assistir se voce gosta de dahmer um canibal americano eu matei meu pai
Conheça a história real que inspirou série documental da Netflix sobre filho que assassinou o próprio pai 2

As acusações e o julgamento

Inicialmente, Anthony foi acusado de homicídio em segundo grau, mas as acusações acabaram sendo reduzidas para homicídio culposo. Em 2021, ele acabou aceitando um acordo e foi condenado a cinco anos de liberdade condicional com crédito pelo tempo já cumprido.

Além disso, segundo a decisão judicial, ele também deve obter seu diploma de ensino médio, receber aconselhamento e trabalhar ou estudar em período integral. Se cumprir com todas as exigências, o seu histórico criminal poderá ser exposto caso ocorra sucesso. Em comunicado à imprensa, seu advogado, Jarrett Ambeau, comemorou a sentença, mas ressaltou o quanto o sistema judicial é imperfeito.

Anthony Templet: uma nova vida pelo futuro

Depois de ser libertado, Anthony voltou a ter contato com sua mãe e sua avó no Texas. Ele parece estar empenhado em reconstruir sua vida, estudar, trabalhar e tentar superar o trauma do passado. A série retrata, de maneira comovente, a redescoberta de laços familiares e o início de uma nova fase, apesar de tudo o que aconteceu.

“Matei Meu Pai” é um documentário que mergulha de forma perturbadora na história de Anthony Templet e sua família, mostrando que nem tudo é o que parece e que a verdade nem sempre é fácil de ser compreendida. O documentário está disponível na Netflix para aqueles que desejam entender melhor essa história real e surpreendente.

Redação

O Canal Ciências Criminais é um portal jurídico de notícias e artigos voltados à esfera criminal, destinado a promover a atualização do saber aos estudantes de direito, juristas e atores judiciários.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo