Artigos

Sobre pais e filhos: a prisão é a melhor saída?

Por Anderson Figueira da Roza

Meu filho vai ter nome de santo

Quero o nome mais bonito.

Quantas pessoas que esperam ansiosamente a chegada de seus filhos não se depararam com esta dúvida que é retratada na canção da Legião Urbana?

E quem nunca ouviu de um filho, sobrinho, afilhado, criança ou adolescente?

Quero colo!

Vou fugir de casa

Posso dormir aqui com vocês?

Neste instante leio uma notícia que em Moçambique e na Zâmbia as crianças a partir de 8 (oito) anos de idade participam de “cerimônias de iniciação” com o objetivo de serem preparadas para o casamento e para o sexo, onde as meninas possuem objetos inseridos em seus corpos e sofrem diversos castigos físicos.

Olho para meus filhos e continuo escutando a canção:

Dorme agora

É só o vento lá fora.

Logo em seguida, outra notícia vinda de Bangladesh, em que muitas pessoas protestam pelo linchamento até a morte de um adolescente de 13 (treze) anos de idade (amarrado em um poste e espancado por barras de metais). Este episódio foi filmado e varreu o mundo pela internet. Manifestantes pedem que os acusados desse linchamento sejam levados à forca.

Relembro meus filhos pequenos, na ânsia de saberem tudo, me perguntando algumas vezes:

Me diz porque que o céu azul?

Explica a grande fúria do mundo.

Penso mais calmamente “sou brasileiro, com muito orgulho, com muito amor”, me sinto salvo, pensando nos meus filhos e nos de vocês, e leio as notícias do Brasil de agora: Senado aprova aumento do tempo de internação para menores infratores. E a redução da maioridade penal está avançando no Congresso Nacional.

Antes de dormir, escuto notícias que no Estado do Piauí existe um motoqueiro fantasma que passeia pelas noites prendendo bandidos ou os matando, abreviando a justiça, embora a Polícia de lá garanta que tal personagem não existe. E as crianças não querem mais dormir, achando que o motoqueiro fantasma pode aparecer para prender algum assaltante que esteja por perto de casa.

Renato Russo profetizou:

É preciso amar as pessoas

Como se não houvesse amanhã

Porque se você parar pra pensar

Na verdade não há.

É preciso muito mais do que leis para proteger ou punir as crianças e adolescentes pelo mundo. Enquanto isso, a maioria da população brasileira está seduzida pela redução da maioridade penal, mas estão esquecendo que esta ânsia precoce de responsabilizar criminalmente estes jovens trará diversas consequências não penais para dentro de nossas casas, das nossas famílias. Afinal, ouvimos e não entendemos que no fundo:

Você culpa seus pais por tudo

Isso é absurdo

São crianças como você

E o que você vai ser

Quando você crescer?

AndersonFigueira

Autor

Mestrando em Ciências Criminais. Advogado.
Continue lendo
ArtigosTribunal Criminal

Nós, os jovens tribunos, vistos por eles, os jurados

ArtigosDireito Penal

Direito Penal não se aprende nos telejornais, muito menos com os "formadores de opinião" da Internet

Artigos

(In)aplicação da reincidência na substituição de PPL por PRD

ArtigosProcesso Penal

Ainda sobre a prisão após condenação em segunda instância

Receba novidades em seu e-mail