Noticias

Suspeito de participação na morte de fã de Taylor Swift é preso NOVAMENTE por assalto; confira

Alan Ananias Cavalcante, 26 anos, indivíduo suspeito de estar envolvido na morte de um fã da cantora Taylor Swift, no Rio de Janeiro, foi detido pela quarta vez em menos de um mês. O homem foi conduzido à delegacia de Copacabana, na Zona Sul, duas vezes em um único dia, de acordo com informações da polícia.

Ele foi considerado suspeito de participação em um assalto que resultou na morte de Gabriel Mongenot Santana Milhomem, fã de Taylor, no mesmo bairro, na madrugada do dia 19. Contudo, apesar das suspeitas, não foi identificado pelas vítimas e acabou sendo liberado em uma audiência de custódia. Pouco antes da morte do fã, Alan também foi libertado após ter sido preso em flagrante por furto, em outra audiência de custódia.

Suspeito de matar fã de Taylor Swift é preso
Reprodução: CNN

Leia mais:

Justiça nega pedido de sigilo de Henri Castelli em processo por agressão

Lavagem de dinheiro: quadrilha usou igreja e loja maçônica para movimentar R$ 2,5 milhões

Suspeito de matar fã de Taylor Swift

Desta vez, Alan foi preso temporariamente juntamente com um comparsa, Patrick da Mota Vieira, 39 anos, por roubo qualificado a turistas de São Paulo. O casal foi abordado na madrugada do último sábado (25) na Rua Paula Freitas, próximo à esquina da Avenida Nossa Senhora de Copacabana, em Copacabana.

Na delegacia, ambos confessaram o crime. Um terceiro suspeito do assalto, conhecido como “Cabeça Branca”, está sendo procurado. As investigações indicam que os três abordaram o casal próximo a uma banca de jornal, exigindo seus pertences. A mulher declarou não ter dinheiro e foi ameaçada por Patrick com uma faca. Nesse momento, Alan tomou a bolsa da vítima à força. Segundo o depoimento da mulher, ela foi derrubada ao chão após ser agredida por Alan com um chute na perna, resultando em ferimentos no joelho, ombro e cotovelo. Alan também agrediu o homem com um chute.

O delegado Ângelo Lages, responsável pelas investigações, afirmou que os três suspeitos pegaram um táxi até a Uruguaiana, no Centro do Rio, e venderam um celular por R$100,00. Além disso, conseguiram utilizar o cartão da vítima, fazendo gastos de R$ 400,00 por meio do débito.

Ambos os detidos estavam usando tornozeleiras eletrônicas e possuem extensos registros criminais por delitos cometidos na Zona Sul do Rio. Alan acumula oito anotações, enquanto Patrick possui pelo menos 15.

Os dois detidos enfrentarão acusações de roubo qualificado, estando sujeitos a uma pena que pode chegar a 15 anos de prisão.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo