• 29 de janeiro de 2020

Quatro gigantes da alma: a Ira

Quatro gigantes da alma: a Ira Muito distante, na noite dos tempos, do negro ventre do medo, brotaram as rubras fauces da Ira. Esta rapidamente cresceu e se converteu no segundo gigante dos quatro que atenazam o homem e fazem de sua vida um perpétuo drama. (Emilio Mira Y López) Nisi orbe sine Irae (não […]Leia Mais

Dizem que sou louco!?

Dizem que sou louco!? A loucura sempre foi, em todas as sociedades, uma questão de como ela se relaciona consigo mesma, de como se relaciona com o próximo, de como vê e é vista pelo mundo. Não podemos, mesmo com tanta tinta gasta, admitir que temos um conceito unívoco da loucura vagando pelo mundo das […]Leia Mais