- Publicidade -

STJ: ter direito à posse de arma de fogo não possibilita portar fora da residência

- Publicidade -

A Quinta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu que ter direito à posse de arma de fogo não possibilita portar fora da residência ou do trabalho a arma de fogo registrada, não se aplicando, consequentemente, o entendimento adotado na Ação Penal n. 686/AP, que trata da posse ilegal de arma de fogo de uso permitido.

- Publicidade -

A decisão (AgRg no REsp 1883364/DF) teve como relator o ministro João Otávio de Noronha.

A posso não permite portar fora da residência

DIREITO PENAL. AGRAVO REGIMENTAL NO RECURSO ESPECIAL. PORTE ILEGAL DE ARMA DE FOGO REGISTRADA. TIPICIDADE DA CONDUTA (ART. 14 DA LEI N. 10.826/2003). AÇÃO PENAL N. 686/SP. INAPLICABILIDADE. DECISÃO MANTIDA.

1. É típica a conduta de quem detém, em local diverso do da residência ou do trabalho, o porte de arma de fogo registrada (art. 14 da Lei n. 10.826/2003).

- Publicidade -

2. O entendimento adotado na Ação Penal n. 686/AP, que trata da posse ilegal de arma de fogo de uso permitido (art. 12 da Lei 10.826/2003), não pode ser aplicado ao crime de porte ilegal de arma de fogo.

3. Mantém-se integralmente a decisão agravada cujos fundamentos estão em conformidade com o entendimento do STJ.

- Publicidade -

4. Agravo regimental desprovido.

(AgRg no REsp 1883364/DF, Rel. Ministro JOÃO OTÁVIO DE NORONHA, QUINTA TURMA, julgado em 09/12/2020, DJe 14/12/2020)

Leia mais:

- Publicidade -

STJ: configuração do crime de porte ilegal de arma de fogo não exige laudo


Quer estar por dentro de todos os conteúdos do Canal Ciências Criminais?

Siga-nos no Facebook e no Instagram.

Disponibilizamos conteúdos diários para atualizar estudantes, juristas e atores judiciários.

- Publicidade -

Comentários
Carregando...

Este website usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar Leia Mais