NoticiasConexão Penal

Terraplanista vandaliza capela, picha letreiro e monumentos no interior de SP

Na noite de terça-feira (2), o letreiro “Eu Amo Araras”, localizado no Lago Municipal de Araras (SP), foi alvo de vandalismo e foi pichado. No entanto, a prefeitura já tomou medidas para limpá-lo.

Além disso, no sábado (29), a Capela Nossa Senhora da Piedade, situada na zona rural da cidade, também foi pichada com diversas frases, incluindo a teoria da conspiração de que “A Terra é Plana, pesquise”. Essa teoria foi prontamente desmentida pelos cientistas.

Leia mais:

Linha Direta retorna à Globo com Caso Eloá: sequestro, violência e os erros policiais revelados

Combatendo violência nas escolas: segurança armada não é a solução – alternativas preventivas

A SSP-SP afirmou que a polícia não foi informada do vandalismo no letreiro, mas a Polícia Civil de Araras (SP) irá investigar o crime de ultraje a culto e outros dois crimes relacionados à pichação na Capela.

De acordo com a assessoria da prefeitura, há cerca de dois meses, diversos monumentos e prédios, tanto públicos quanto privados, têm sido alvo de pichações na cidade. Entre os locais vandalizados estão a capela, o letreiro do Lago Municipal, a prefeitura, a Basílica Nossa Senhora do Patrocínio e um obelisco.

A prefeitura já comunicou a polícia e busca prender o vândalo responsável pelos danos causados à cidade. É importante lembrar que a Lei nº 9.605 de 1998 estabelece que pichar, grafitar ou sujar monumentos e edificações é considerado crime, com pena de 3 meses a 1 ano de prisão e multa.

A capela foi invadida e pichada com um maçarico para queimar a porta e destruir imagens de santos

No último fim de semana, uma capela na Avenida Fábio da Silva Prado foi invadida e pichada, com o vândalo ainda utilizando um maçarico para queimar a porta e destruir imagens de santos.

As frases que questionavam o poder das imagens e as afirmações sobre a terra plana foram escritas nas paredes através de pichações. O agressor jogou imagens religiosas no chão e danificou uma porta usando um maçarico.

Uma autoridade do local reportou o incidente às autoridades e foi registrado um boletim de ocorrência.

Além da pichação, a polícia está investigando os crimes de ultraje a culto (ofensa) – que tem pena de 1 mês a 1 ano de prisão ou multa – e dano – que tem pena de 1 a 6 meses de prisão ou multa.

Fonte: G1

Daniele Kopp

Daniele Kopp é formada em Direito pela Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC) e Pós-graduada em Direito e Processo Penal pela mesma Universidade. Seu interesse e gosto pelo Direito Criminal vem desde o ingresso no curso de Direito. Por essa razão se especializou na área, através da Pós-Graduação e pesquisas na área das condenações pela Corte Interamericana de Direitos Humanos ao Sistema Carcerário Brasileiro, frente aos Direitos Humanos dos condenados. Atua como servidora na Defensoria Pública do RS.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo