- Publicidade -

TJGO manda prender preventivamente PM acusado de tortura contra advogado

- Publicidade -

A juíza da Auditoria Militar da Comarca de Goiânia, Bianca Melo Cintra, decretou a prisão preventiva de um tenente da Polícia Militar (PM) e impôs o afastamento das atividades ostensivas aos demais, um cabo e outros três soldados, todos acusados pelo Ministério Público de Goiás (MP-GO) de praticar crime de tortura (art. 1º, II, da Lei 9.455/97) contra o advogado Orcélio Ferreira Silvério Júnior.

- Publicidade -

O advogado, em entrevista na última terça (23/09), disse que se sente aliviado com a imposição da medida. De acordo com levantamento realizado em 2020 pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), a letalidade produzida pela polícia corresponde, em média, a 12,8% de todas as mortes violentas intencionais no país. Em Goiás, a proporção chegou a 29,1%.

Os policiais foram filmados agredindo o advogado, depois de o algemar e o lançar no chão. O MP-GO juntou as imagens aos autos. A magistrada, em um trecho de sua decisão, comentou o seguinte:

A comprovação da materialidade do delito e dos indícios suficientes de autoria configura-se o requisito do fumus comissi delicti, que, in casu, resta patente nos autos (…) e nas gravações constantes do vídeo com duração de 1min. e 36 seg., que contém “imagens fortes” da vítima Dr. Orcélio Ferreira Silvério Júnior sendo agredida por policiais militares, na presença de diversos transeuntes, que tentam intervir a todo instante para fazer cessar as agressões, de pouco adiantando. As referidas imagens ‘falam por si’.

- Publicidade -

Segundo a juíza, em depoimento, o tenente que está preso teria dito que “prática daquele tipo de conduta é sua forma reagir às provocações feitas contra sua pessoa”.

Após o ocorrido, cerca de 100 advogados se reuniram em desagravo público a favor do advogado, na Praça da Bíblia, em Goiânia. A OAB-GO, por meio da sua comissão de Direitos Humanos (CDH), levou o caso à Relatoria Especial da ONU, propondo o monitoramento do caso pela entidade, a fim de que o Estado Brasileiro seja instado a se manifestar a respeito.

Leia também

STJ estabelece novas diretrizes sobre o roubo circunstanciado


- Publicidade -

Quer estar por dentro de todos os conteúdos do Canal Ciências Criminais?

Siga-nos no Facebook e no Instagram.

Disponibilizamos conteúdos diários para atualizar estudantes, juristas e atores judiciários.

- Publicidade -

Comentários
Carregando...

Este website usa cookies para melhorar sua experiência. AceitarLeia Mais

Prima de Daniella Perez encontra Paula Thomaz em shopping Raul Gazolla manda recado para marido de Paula Tomaz Bolsonaro e Michelle visitam igreja em que Guilherme de Pádua é pastor Esposa de Guilherme de Pádua comenta sobre série da HBO Max O atirador de Realengo