Toffoli: juiz das garantias não vai proteger criminosos

Toffoli: juiz das garantias não vai proteger criminosos

Na última sexta-feira (3), o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) realizou a primeira reunião do grupo de trabalho criado para definir a aplicação da Lei 13.964/19, denominada “Lei Anticrime”. Dias Toffoli, presidente do CNJ e ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), comentou a respeito da nova legislação e da figura do juiz das garantias.

Conforme Toffoli, a lei tem uma dimensão maior no combate à criminalidade:

A legislação é positiva para a sociedade e é preciso ter consciência disso. O juiz das garantias não é a única mudança da lei e não estabelece um juiz que vai proteger o criminoso, mas que será rígido para acompanhar a investigação.

Leia também:

Lei 13.964/2019: juiz das garantias é responsável pelo controle da legalidade da investigação criminal

Toffoli destacou ainda que trabalho semelhante ao do juiz de garantias já é realizado no Brasil, nas chamadas “Centrais de Inquéritos”:

Não há que se falar em aumento de custo e de trabalho. É uma questão de organização interna para atender a legislação e adaptar o trabalho das centrais de inquérito aos parâmetros da norma.


Quer estar por dentro de todos os conteúdos do Canal Ciências Criminais?

Siga-nos no Facebook e no Instagram.

Disponibilizamos conteúdos diários para atualizar estudantes, juristas e atores judiciários.

Comentários
Carregando...

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. AcceptRead More