• 21 de janeiro de 2020

Tommy Lynn Sells, o assassino de costa a costa

 Tommy Lynn Sells, o assassino de costa a costa

“Eu sou odioso. Quando você me olha, você olha para o ódio” (Tommy Lynn Sells)

A INFÂNCIA

Tommy Lynn Sells foi um serial killer norte-americano que reivindicou a autoria de mais de 70 assassinatos nos Estados Unidos. Sells foi condenado por apenas um assassinato, mas era um número demais e ele aguardava sua execução na Unidade Allan B. Polunsky, perto de Livingston, Texas.

Tommy Lynn Sells e sua irmã gêmea Tammy Jean nasceram em Oakland, Califórnia, em 28 de junho de 1964. Sua mãe, Nina Sells, era uma mãe solteira com três outras crianças no momento em que os gêmeos nasceram.  A família mudou-se para St. Louis, Missouri, e, aos 18 meses de idade, tanto Sells quanto Tammy Jean contraíram meningite espinhal, o que provou ser fatal para Tammy Jean.

Logo após sua recuperação, Sells foi enviado para morar com sua tia Bonnie Walpole, em Holcomb, Missouri. Ele ficou lá até a idade de cinco anos quando sua mãe voltou a levá-lo depois de descobrir que Walpole mostrou interesse em adotar o menino.

Ao longo de seus anos de infância, Sells foi deixado principalmente sozinho para se defender. Ele raramente frequentava a escola e, com a idade de 7 anos, já estava bebendo álcool.

Ao mesmo tempo, ele começou a andar com um homem de uma cidade próxima. O homem mostrou-lhe muita atenção especial, que incluiu dar-lhe presentes e levá-lo a passeios. Em várias ocasiões, Sells passou a noite na casa do misterioso homem. Mais tarde, descobriu-se que este mesmo homem foi pego molestando meninos, e Sells foi uma de suas vítimas aos 8 anos de idade.

Com 10 anos, Tommy Lynn Sells quase abandonou a escola e começou a usar drogas, e após um incidente envolvendo nudez e sua avó, foi abandonado por sua família.

Em maio de 1981, Sells mudou-se para Little Rock, Arkansas e voltou a entrar com sua família, mas por pouco tempo. Sua mãe, Nina Sells, não quis que Sells continuasse a viver com eles depois que ele tentou fazer sexo com ela enquanto estava tomando banho.

Depois que sua mãe o abandonou, Sells diria mais tarde que estava cheio de raiva e atacou sua primeira vítima com uma pistola, atirando até que ela estivesse inconsciente. Sem casa e sem família, Sells começou a se divertir de uma cidade para outra, pegando objetos de estranhos e roubando o que precisava.

Sells, em depoimentos, afirmou que cometeu seu primeiro assassinato aos 16 anos, depois de entrar em casa e matar um homem que estava fazendo sexo oral em um jovem. Nunca houve nenhuma prova para respaldar sua autoria nesse crime.

O SURGIMENTO DE UM SERIAL KILLER

Em maio de 1984, Sells foi condenado por roubo de carros e recebeu uma pena de prisão de dois anos. Ele foi libertado da prisão no mês de fevereiro seguinte, mas não seguiu os termos de sua liberdade condicional.

Enquanto ainda estava no Missouri, ele obteve um emprego com uma feira de condado em Forsyth e conheceu Ena Cordt, 35, e seu filho de 4 anos. Sells depois admitiu ter matado Cordt e seu filho.De acordo com Sells, Cordt o convidou de volta para sua casa, mas Sells pegou Cordt olhando sua mochila e ele a espancou até a morte com um bastão de baseball. Ele então fez o mesmo com Rory porque ele poderia ter sido testemunha. Seus corpos foram encontrados três dias depois dos assassinatos.

Em setembro, ele estava de volta à prisão, depois de entrar em um acidente de carro enquanto dirigia o bêbado, e ficou preso até maio de 1986.

De volta a St. Louis, Sells afirma que ele atirou em um estranho em defesa própria. Ele então dirigiu-se para Arkansas Pass, Texas, onde foi internado por uma overdose de heroína. Uma vez fora do hospital, ele roubou um carro e foi para Fremont, Califórnia.

tommy-01
Tommy Lynn Sells na prisão

Enquanto em Freemont, os investigadores acreditam que ele foi responsável pela morte de Jennifer Duey, de 20 anos, que foi encontrada morta a tiros. Eles também creem que ele foi responsável pelo assassinato de Michelle Xavier, 19 anos, que foi encontrada morta com o corte da garganta.

Keith Dardeen foi a próxima vítima desconhecida que tentou fazer amizade com Sells. Ele viu Sells fazendo carona em Ina, Illinois e ofereceu-lhe uma refeição quente em sua casa. Em troca, Sells disparou contra Dardeen e depois mutilou seu pênis. Em seguida, ele assassinou o filho de três anos de Dardeen, Pete, lançando-o um martelo. Ele então tornou sua raiva na esposa grávida de Dardeen, Elaine, que ele tentou estuprar.

O ataque causou o adiantamento do trabalho de parto, e Elaine ela deu à luz sua filha naquele mesmo momento. Nem mãe nem filha sobreviveram, uma vez que Sells bateu nas duas até a morte com um bastão. O crime não foi resolvido por 12 anos até que Sells o confessou.

Muitos dos crimes que Sells afirmou ter cometido nunca puderam ser verificados. No entanto, houve um caso em que ele assumiu a autoria, o que levou à soltura de uma mãe erroneamente condenada por matar seu filho.

Em 2002, a escritora Diane Fanning estava se correspondendo através de cartas com Sells, que estava no corredor da morte no Texas, e em uma das cartas, Sells confessou o assassinato de Joel Kirkpatrick, de 10 anos. A mãe de Joel, Julie Rae Harper, foi considerada culpada de seu assassinato e estava na prisão.

Mais tarde, Sells disse a Fanning, durante uma entrevista cara a cara, que Harper tinha sido grosseiro com ele em uma loja de conveniência, então no dia seguinte, ele o seguiu até sua casa e matou o menino.

A confissão, juntamente com o testemunho de Fanning e com a ajuda do Projeto Innocence, resultou em um novo julgamento para Harper que terminou com sua absolvição.

O ASSASSINO DE COSTA A COSTA

Por 20 anos, Sells foi um assassino em série transitório. Os investigadores acreditavam que ele era provavelmente responsável por 70 assassinatos em todo o país.

tommy-02
Um dos poucos registros fotográficos de Sells na prisão

Durante suas confissões, ele assumiu o apelido de “Costa a Costa” ao contar sobre os diferentes assassinatos que cometeu um mês, enquanto na Califórnia, e no próximo mês, enquanto estava no Texas.

JULGAMENTOS, SENTENÇAS E EXECUÇÃO

Em 31 de dezembro de 1999, Krystal Surles, de 10 anos, estava hospedada na casa de uma amiga, Kaylene Harris, de 13 anos, quando foi atacada por um homem no quarto onde as duas meninas estavam dormindo.

Ela tinha acabado de testemunhar Kaylene tendo a garganta cortada quando o homem a agarrou e cortou a garganta. Fingindo estar morta, ficou imóvel até que ela pudesse escapar e receber ajuda do vizinho.

Krystal sobreviveu e, com a ajuda de um artista forense, ela conseguiu fornecer detalhes suficientes para que o esboço acabasse por levar à prisão de Tommy Lynn Sells.

krystal
A jovem Krystal Surles

Sells conhecia Terry Harris, que era o pai adotivo do Kaylene. A sua vítima pretendida naquela noite era Kaylene.

Sells foi preso dias depois em 2 de janeiro de 2000, no trailer onde ele morava com sua esposa e seus quatro filhos. Foi uma prisão pacífica. Sells não fez uma briga ou mesmo perguntou por que ele estava preso.

Mais tarde ele confessou matar Kaylene Harris e sua tentativa de matar Krystal, mas essa era apenas a ponta do iceberg. Durante os meses seguintes, Sells admitiu matar vários homens, mulheres e crianças em diversos estados de todo o país.

Em 18 de setembro de 2000, Tommy Lynn Sells se declarou culpado e foi condenado pelo assassinato capital de Kaylene Harris e por tentativa de assassinato de Krystal Surles. Ele foi sentenciado à pena de morte.

tommy-03
Tommy Lynn Sells foi executado em 3 de abril de 2014

Em 17 de setembro de 2003, Sells foi indiciado pelo assassinato de Stephanie Mahaney em Greene County, Missouri em 1997. Também em 2003, Sells se declarou culpado da morte de Mary Bea Perez, de nove anos de idade, pela qual ele recebeu uma sentença de prisão perpétua.

Tommy Lynn Sells foi executado no Texas em 3 de abril de 2014, às 18 horas, por meio de uma injeção letal e se recusou a fazer uma declaração de últimas palavras.

Caroline Bussoloto

Advogada (RS)