- Publicidade -

Três americanos são declarados culpados por homicídio de atleta

- Publicidade -

Nesta quarta-feira (24), foram declarados culpados três homens brancos pelo homicídio do atleta negro Ahmaud Arbery. O oficial de polícia aposentado Travis McMichael, que atirou em Arbery, além de seu pai, Gregory, e seu vizinho, William “Rodie” Bryan, foram considerados culpados. O julgamento durou cerca de um mês em Brunswick, na Geórgia (EUA).

- Publicidade -

O júri popular, formado por 12 integrantes, sendo apenas 1 deles negro, deliberou durante mais de 11 horas sobre o caso, chegando a decisão unânime. Agora os três homens podem ser condenados à prisão perpetua pelo assassinado de Arbery.

Após o veredito, uma multidão comemorava do lado de fora do tribunal de Brunswick o pronunciamento do julgamento.

“Digam seu nome: Ahmaud Arbery. Digam seu nome: Ahmaud Arbery”, entoavam em coro, enquanto na sala de audiência um membro da família gritava de alegria com a condenação de Travis McMichael.

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, elogiou a condenação do trio, mas enfatizou que ainda há “muito trabalho” a fazer sobre casos de justiça racial no país:

- Publicidade -

Embora os vereditos de culpa reflitam que nosso sistema judicial está fazendo seu trabalho, isto por si só não é suficiente. Devemos, ao contrário, voltar a nos comprometer a construir um futuro de unidade e força compartilha, onde ninguém tema a violência pela cor da sua pele.

O reverendo Al Sharpton, ativista pelos direitos civis, assistiu o julgamento com o também ativista Jesse Jackson, comemorou também as condenações:

Isto tem que se espalhar por todo o mundo, que um júri de 11 brancos e um negro, no sul profundo dos EUA, se posicionou na sala do tribunal e disse: vidas negras importam sim.

De acordo com advogado do pai de Arbery, Bem Crump:

- Publicidade -

O espírito de Ahmaud derrotou o grupo de linchadores.

- Publicidade -

Marcus Ahmaud comemorou a leitura do veredicto, e o juiz então pediu que ele deixasse a sala de julgamento. A mãe de Arbery, Wanda Cooper-Jones, assim destacou:

Nunca pensei que esse dia chegaria. Deus é bom, obrigada aos que marcharam e rezaram.

O incidente, registrado por um vídeo que veio a público quase 3 meses depois do ocorrido, monstra Arbery desarmado, chocando os Estados Unidos e transformando Arbery em mais um ícone do movimento antirracista “Black Lives Matter” (Vidas negras importam, em tradução).

Leia também

- Publicidade -

STF define novas diretrizes sobre a aplicação retroativa da norma penal benéfica


Quer estar por dentro de todos os conteúdos do Canal Ciências Criminais?

Siga-nos no Facebook e no Instagram.

Disponibilizamos conteúdos diários para atualizar estudantes, juristas e atores judiciários.

- Publicidade -

Comentários
Carregando...

Este website usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar Leia Mais