ArtigosCriminal Profiling

Tríade psicopatológica: verdade ou lenda?

Canal Ciências Criminais
tríade

Tríade psicopatológica: verdade ou lenda?

Pesquisadores empenham-se em buscar explicações relativas sobre as causas e as motivações dos crimes cometidos por ofensores em série, sejam eles: assassinos, estupradores ou pirômanos.

Apesar de ter poucos estudos, a investigação sobre esse tema vai de encontro com as características da infância desses criminosos. Alguns estudos apresentam evidências que interligam a crueldade contra animais na infância e a violência adulta, na forma de agressões contra outros seres humanos.

De acordo com a pesquisa do psiquiatra Macdonald em seu artigo ‘The Threat to Kill’ (1963), encontra-se um padrão de comportamentos na infância conhecido como ‘tríade homicida’ ou ‘tríade de Macdonald´, que pode estar relacionado com o comportamento adulto predatório, o autor descreve-a como um conjunto de três fatores:

  • Crueldade contra animais;
  • Obsessão com fogo;
  • Enurese noturna.

A crueldade contra animais na infância é uma forma de sadismo voltado as formas de vida inferiores. Além das torturas em animais, ela pode ser cometida em outras crianças mais vulneráveis. É importante frisar que esse tipo de sadismo é de extrema violência. 

Edmund Kemper enterrou vivo seu gato de estimação; Jeffrey Dahmer chegou a enforcar um gato, só para ver quanto tempo levaria para morrer. Um exemplo de violência contra outra criança é o caso do menino James Bulger (3 anos), sequestrado por outros dois meninos (ambos tinham 10 anos) num shopping em Liverpool.  Bulger sofreu tortura e abuso sexual, entre outras violências. Esse fator pode não ser uma fase, mas um ensaio para a prática em futuras vítimas humanas.

O incêndio culposo seria uma tentativa de liberar a tensão adquirida pelos sentimentos de frustração e raiva, que precisam ser desvencilhados de alguma forma. Berkowitz confessou mais de 400 atos incendiários, na adolescência foi apelidado como “Pyro” (abreviação de piromaníaco). Ottis Toole, serial killer americano, começou a incendiar casas abandonadas aos 6 anos de idade.

A enurese noturna é o ato de urinar na cama, é considerado normal até o período de 5 anos de idade. Quando a enurese persiste até a puberdade, é vista como um problema, sinalizando algo que não está indo bem, num provável desequilíbrio emocional. Alton Coleman, um serial killer americano, chegou a receber o apelido de “mijão”.

Para Macdonald, se todos os três fatores ou qualquer combinação de dois estiverem juntos, são suficientes para serem preditivos ou associados com tendências violentas posteriores , particularmente com relação as ofensas em série . 

Os agentes do FBI, Douglas, Ressler e Burgess também compartilharam esse conceito, associando os padrões de infância com o comportamento adulto. Apesar de que essa teoria vem amplamente sendo ensinada, outras pesquisas não validaram essa linha de pensamento.

Outros estudos apontam que esses fatores estão apenas associados à experiência infantil. São crianças que sofreram de negligência, brutalidade ou abuso dos pais. 

Sabe-se que a construção de ligações sociais do ser humano é formada desde a infância, especialmente na família, e é uma força essencial que ocasiona a empatia e o comportamento social adequado. Porém, se estas ligações são frágeis, como por exemplo numa família disfuncional, algumas pessoas podem se tornar agressoras.

Desde a tenra idade, a maioria dos psicopatas apresentam diversos problemas comportamentais, como o abuso de álcool e de drogas, mentiras, sexualidade precoce, abusos sexuais e físicos, etc. No entanto, a enurese infantil, a piromania e a crueldade contra os animais mais provavelmente representam três, entre muitos, indicadores de abuso infantil grave.

Existiram serial killers que não têm histórico de ter sofrido tortura na infância, como o canibal Jeffrey Dahmer e Ted Bundy. Porém, é de devida importância assinalar que abusos psicológicos podem ser tão graves quanto os abusos físicos. Visto que, a formulação de “tríade psicopatológica”, pode ser uma combinação particular de comportamentos ligados à violência, pode não ter qualquer validade em particular.

Nem todo adulto que apresentou um ou mais desses fatores na infância, se configurará como um ofensor em série. Além do mais, algumas crianças podem ser erroneamente rotuladas de potenciais violentas.

Desta forma, pode-se dizer que os fatores da “tríade homicida”, não pode predizer o futuro de uma criança, mas pode ter fundamento nas vivências infantis de parte dos serial killers. Talvez por isso e entre outros motivos, a tríade tem sido chamado de lenda urbana .


REFERÊNCIAS

FRANKLIN, Karen. Homicidal Triad: Predictor of Violence or Urban Myth? Psychology Today. Disponível aqui.

HARE, R.D. Sem consciência: O mundo perturbador dos psicopatas que vivem entre nós. Porto Alegre: Artmed, 2013. 240p.

MACDONALD, J. M. “The threat to kill“. American Journal Psychiatry. 1963

SCHECHTER, H. Serial Killers – Anatomia do mal. Rio de Janeiro: DarkSide Books, 2013.480p.

Autor
Especialista em Psicanálise, Saúde Mental e Criminal Profiling. Psicóloga.
    Continue lendo
    Receba novidades em seu e-mail