Anestesista preso por estupro ainda não conseguiu advogado

O médico  anestesista  Giovanni Quintella Bezerra, que foi acusado por ter cometido estupro de vulnerável a uma mulher grávida durante o parto no Hospital da Mulher.

O processo  corre em segredo  de Justiça, no entanto o advogado da primeira vítima informou que até o momento nenhum advogado quis assumir a defesa de Giovanni.

O caso O médico  anestesista foi acusado  pelo MP-RJ pelo crime de estupro de vulnerável. O ato foi filmado pela própria equipe médica dele, que entregou o material à polícia. O vídeo realizado pela equipe, teria cerca de 1h30 de duração, e teria acontecido ao fim da operação, com o acompanhante da vítima já fora da sala de parto.

O anestesista  Giovanni foi preso  em flagrante após a  polícia ter conhecimento do fato, e o judiciário converteu o flagrante em prisão preventiva, ele então foi encaminhado para a Cadeia Pública Pedrolino Werling de Oliveira, também conhecida como Bangu 8, no Complexo de Gericinó, na Zona Oeste do Rio, onde permanece até então.

O judiciário irá  nomear a Defensoria  Pública para atuar na sua defesa. A Defensoria Pública é instrumento indispensável para o exercício dos direitos humanos, e por isso é função típica do Defensor Público, como garantidor do princípio da ampla defesa e do contraditório no processo penal, elaborar a resposta à acusação imputada ao acusado.

Assim, sendo nomeado Defensor Público para Giovanni no processo, será elaborada resposta à acusação, e este acompanhará o acusado em todos as fases do processo.

Leia a matéria para saber de todos os detalhes desse crime.