ArtigosDireito Digital

Aluguel de casa para temporada: como fugir de um golpe?

Aluguel de casa para temporada: como fugir de um golpe?

O segundo semestre de 2018 traz consigo uma gama de feriados. Em todos os meses a partir de setembro, existe pelo menos um dia a qual quase todos podem optar por descansar ou viajar para outros lugares, tais como praias, cidades vizinhas, etc.

Assim, é plenamente normal consultar na plataforma digital os anúncios de casas para aluguel de temporada, pois, dependendo da quantidade de pessoas que vão viajar, compensa mais em questões financeiras alugar uma casa do que permanecer hospedado em um hotel.

Agora, imagine a quantidade de anúncios que são inseridos todos os dias em sites tais como OLX, por exemplo, que funciona da seguinte forma: o proprietário insere fotos do local e endereço, o seu telefone de contato e e-mail, condições de pagamento, e, ao final, o processo todo é concluído entre o interessado e o proprietário.

Ou seja, o respectivo site possui a função de aproximar as partes, para que entre elas ocorra uma relação jurídica, mais conhecida como um contrato.

Pois é: são centenas de propostas todos os dias inseridas dentro desse universo digital, e, pensando na quantidade de pessoas que viajam nos feriados e nas datas festivas, te pergunto, caro leitor: quantos criminosos virtuais criam anúncios falsos a cada minuto? Creio que você já consegue imaginar a quantidade.

Mas, ao contrário do que você está imaginando, não é necessário um conhecimento técnico para identificar indícios de que um anúncio é falso e que você vai cair em um golpe.

Portanto, este artigo irá demonstrar os principais pontos para identificação de um anúncio FALSO, o qual você não deve acreditar de maneira alguma, pois te digo: será muito atrativo aos seus olhos.

1. CONFIRME A EXISTÊNCIA DO LOCAL ESCOLHIDO

Se possível, vá presencialmente ao local verificar se realmente existe e se as condições do imóvel estão compatíveis com o anúncio.

Isso porque um dos pontos mais importantes quando se trata de um golpe é o endereço do local que se pretende locar. Os criminosos selecionam locais longes para evitar que o interessado queira ir até o local, e assim confie tão somente nas fotos postadas.

Caso realmente seja distante e impossível de visitar o local previamente, utilize dos mecanismos virtuais para verificação do local, como o Google Street View, por exemplo. Veja se possui estabelecimentos próximos ao local, ligue, busque saber se, de fato, a residência existe.

2. EXIJA UM CONTRATO

Também não custa exigir a elaboração de um contrato que estipule todos os dados pertinentes ao período locado, das partes contratantes e do pagamento com a colheita das assinaturas. Assim, é mais uma forma de garantir a segurança da relação jurídica em eventual problema.

3. CUIDADO COM O PAGAMENTO ANTECIPADO

É completamente normal por parte do proprietário solicitar um pagamento adiantado como forma de garantir a reserva do imóvel. Geralmente é pago 50% para a reserva e 50% ao final.

Quando o criminoso aplica o golpe, ele recebe os 50% iniciais e desaparece. Inclusive, a conta bancária de destino do valor, na maioria das vezes, é de um “laranja”.

Portanto, o mais correto seria buscar um imóvel através de uma intermediadora, como uma corretora de imóveis ou sites como AIRBNB e o Booking, por exemplo, que possuem garantias e proteção para pagamento.

4. CUIDADO COM OS ANÚNCIOS VIA E-MAIL

Já foi falado em outro momento sobre a prática do Phishing. Portanto, nunca insira seus dados pessoais e bancários em anúncios recebidos via e-mail. O criminoso virtual vai te enviar um e-mail que te induza a aceitar o que está inserido, bem como poderá encaminhar você para uma página na web que contenha um software malicioso, a fim de infectar a sua máquina com algum vírus.

5. ATENÇÃO NA HORA DE CONVERSAR COM O “PROPRIETÁRIO”

O criminoso virtual, de forma geral, irá trabalhar com textos prontos para enviar para todas as vítimas. Portanto, repare em erros grosseiros, analisando todo o conteúdo da troca de mensagens. Inclusive, ligue para ele e tente extrair o máximo de informações possíveis para verificar se batem com o conteúdo escrito recebido.

Ainda, perceba minuciosamente se o suposto proprietário afirma com clareza e certeza todas informações pertinentes, e se são compatíveis com o anúncio.

Esses são os principais pontos de verificação de um anúncio, que demonstram requisitos básicos para garantir a sua veracidade. Lembrando que o Código de Defesa do Consumidor e a legislação penal possui meios para coibir eventual problema ocasionado oriundo de fraude.

Observando esses cinco tópicos, você poderá usufruir viajar com segurança.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Fernanda Tasinaffo

Especialista em Direito Digital. Advogada.

ARTIGOS RELACIONADOS

Fechar