- Publicidade -

DJ Ivis é preso em condomínio de luxo na Grande Fortaleza

- Publicidade -

Ontem, quarta-feira, dia 14 de julho, DJ Ivis, acusado de agredir a ex-mulher Pamella Holanda, foi preso no condomínio de luxo onde reside em Aquiraz, na Região Metropolitana de Fortaleza.

- Publicidade -

O DJ foi levado para a Delegacia Metropolitana do Eusébio, na Grande Fortaleza, que está conduzindo as investigações do caso e, em seguida, por volta das 19h, foi levado para a Perícia Forense para a realização de exame de corpo de delito.

Caso DJ Ivis

Segundo informações fornecidas pela Delegacia, após o exame de corpo de delito o DJ seria levado para a Delegacia de Captura.

O pedido de prisão preventiva foi feito pela Polícia Civil do Ceará na última terça-feira, dia 13 e foi concedido na tarde de ontem pela Justiça.

- Publicidade -

O governador do estado do Ceará, Camilo Santana, confirmou a prisão do DJ por meio das redes sociais:

Acabo de ser informado pelo nosso secretário de Segurança da prisão do DJ Ivis, no caso das agressões a Pamella Holanda. A prisão preventiva havia sido solicitada ontem pela nossa Polícia Civil e decretada há pouco pela Justiça. Que responda pelo crime cometido.

Priscila Virino, advogada de Pamella, afirmou que neste momento sua cliente não se pronunciará sobre a prisão do ex-marido:

Ela ainda não irá se pronunciar. Mas não há palavras para definir que a Justiça está sendo feita.

Testemunhas são ouvidas

- Publicidade -

- Publicidade -

Ainda na última terça-feira, dia 13, o funcionário do DJ que aparece nos vídeos divulgados por Pamella, identificado com o nome Charles, foi ouvido pela polícia como testemunha, porém o conteúdo do depoimento não foi divulgado.

Outra testemunha que foi ouvida pela Polícia Civil do Ceará nesta quarta-feira foi de Maria Vaneide da Silva, funcionária do ex-casal. Diferentemente de Charles, ela não foi convocada a testemunhar, tendo comparecido espontaneamente à Delegacia de Eusébio.

O caso está sendo acompanhado pelo Departamento de Proteção aos Grupos Vulneráveis (DPGV) da Polícia Civil e ao menos 10 pessoas já foram ouvidas por ela na investigação do caso de violência doméstica envolvendo o DJ e Pamella.

Novo exame de corpo de delito

A vítima, Pamella Holanda, deverá passar um novo exame de corpo de delito com a finalidade de verificar a gravidade das lesões causadas pelas agressões do DJ. Quem informou a realização do novo exame foi o delegado adjunto do distrito que investiga o caso, Tarso Facó.

- Publicidade -

Leia também

STJ: recomendação 62/2020, do CNJ, não orienta a concessão de liberdade indistinta a quaisquer presos


Quer estar por dentro de todos os conteúdos do Canal Ciências Criminais?

Siga-nos no Facebook e no Instagram.

Disponibilizamos conteúdos diários para atualizar estudantes, juristas e atores judiciários.

- Publicidade -

Comentários
Carregando...

Este website usa cookies para melhorar sua experiência. Aceitar Leia Mais