- Publicidade -

Turista se recusa a medir a temperatura para entrar na Disney e é preso

Um turista que iria passar as suas férias na Disney World foi preso após se recusar a medir a temperatura para entrar no parque. De acordo com as informações, o homem de 47 anos, chamado Kelly Sills, não passou pela fiscalização de aferição de temperatura (uma das medidas adotadas em meio à pandemia do novo coronavírus) e, ao ser abordado, se recusou a sair.

- Publicidade -

Se recusou a medir a temperatura e foi preso

Os fatos teriam ocorrido no dia 13 de fevereiro, sendo que o turista, após não passar pela medição de temperatura, se dirigiu a um restaurante do parque, onde foi detido, oportunidade em que passou a gritar e se recusar a deixar o local.

Diante disso, o homem foi avisado que seria acusado de invasão, tendo respondido, após ser algemado, que não podia ser responsabilizado por tal ato, pois, segundo ele, pagou US$ 15 mil pelo passeio. Além do mais, no tribunal do condado de Orange, ele se declarou inocente.

Ao ser entrevistado pelo The Washington Post, Kelly Sills disse que tudo não passou de um engano, pois teria se confundido na hora de entrar no parque, acessando o local por uma das vias de saída e que permitiria ter sua temperatura aferida.

- Publicidade -

Sills ainda responsabilizou os funcionários do parque por não terem conseguido lidar com a situação, chegando a compará-los com nazistas e mafiosos, apesar de ter confessado estar “um pouco mal-humorado”.

Conforme informações, Sills foi preso no primeiro dia de suas férias com a família, afirmando que

Covid é uma coisa muito séria, mas minhas férias com minha família também são.

*Esta notícia não reflete, necessariamente, o posicionamento do Canal Ciências Criminais

Leia mais:

- Publicidade -

Entenda como identificar uma prisão ilegal e como agir diante disso


Quer estar por dentro de todos os conteúdos do Canal Ciências Criminais?

Siga-nos no Facebook e no Instagram.

Disponibilizamos conteúdos diários para atualizar estudantes, juristas e atores judiciários.

- Publicidade -

Comentários
Carregando...

Este website usa cookies para melhorar sua experiência. AceitarLeia Mais